Compartilhe
Ver o tópico anteriorIr em baixoVer o tópico seguinte
avatar
mc´kaizer
Moderador
Moderador
Masculino
Número de Mensagens : 1642
Idade : 29
Localização : Mundo
Reputação : 14
Data de inscrição : 25/01/2009

Pusha T – Mixtape * Wrath of Caine * ( Review )

em Sex Fev 01, 2013 11:26 pm


Pusha nos traz uma mixtape como ela tem de ser: das ruas. Talvez Pusha seja o artista do mainstream que mais tem conexões nas ruas afinal, “Real names kill things, that’s that shit I won’t write, cause my niggas still selling dope like they ain’t on their third strikes”. Mas vamos ao trabalho em questão, a mixtape Wrath of Caine.

Com uma temática semelhante a antigos trabalhos de Pusha, essa é a que tem a produção mais trabalhada. Mesmo sendo uma mixtape. Ela é minimalista, e os samples de The Wire e sons jamaicanos, entram em contraste com as letras de Pusha T. Afiado, o rapper não poupa esforços para mostrar as ruas, desde a Virginia até Kingston.

Existem algumas faixas de grande destaque, e é dessas que irei falar sobre: Millions – que tecnicamente abre o disco -, ele e Rick Ross falam sobre dinheiro. Os dois também falam do passado em relação ao presente deles. Doesn’t Matter traz um French Montana autotunado. Apesar desse fato, Doesn’t Matter é uma bela faixa que mantém o projeto em boa direção. Blocka é um dos singles da mixtape, e uma das melhores faixas do disco. A intro com o sotaque Jamaicano de Popcaan da um toque rasta a faixa, e Travi$ Scott no refrão não decepciona. Pusha manda o recado, “My records ain’t got to sell, nigga”. Ele é das ruas, não precisa da grana da música para se fazer. E esse é o tom da mixtape. Road Runner é outra grande faixa, com um hook incrível performado por Troy Ave, a música começa com uma certa religiosidade, famosa em todos os discos do Clipse, e tem como fundo musical o assunto: carros. Mas é claro em relação com o tráfico. “Lord Father, I don’t mean to be a bother/I’m just prayin’ you’ll protect me on this road/From the rascal alf-alphabet boys/Trackin’ choppers in the highway patrol”, Troy pede proteção divina para ele, e os seus negócios. Alf-alphabet boys significa as siglas FBI, CIA, DEA. Only You Can Tell It é outra grande faixa, o sample é grudante, e a participação de Wale é de certo ponto, grandiosa. Trust You começa também com o sotaque jamaicano. O refrão é feito por Kevin Gates, uma espécie de Future muito melhorado. A faixa é bastante envolvente e contagiante. Fala mais de dinheiro e confiança. Re-Up Gang Motivation é performada por Ab-Liva e relança a Re-Up Gang no jogo. Ab é um grande colaborador do Clipse, e vem forte nessa música. O disco fecha com I Am Forgiven, faixa grandiosa que fala em partes de religiosidade, assunto que Pusha mostra muita segurança.

“My name is my name”, essa é a frase que Pusha prega na mixtape. Ela aparece em praticamente toda mixtape, junto de sotaques jamaicanos sendo ditos e referências ao crack game. O projeto não decepciona, era exatamente o que muitos esperavam de Pusha T após ter ‘matado’ o Cruel Summer. É incrível ver um MC que era injustiçado no passado, desse jeito agora. Finalmente o espaço está sendo dado, e por estar ao lado de Kanye West, certamente o espaço vai ser aproveitado. A mixtape explora bastante as frases de efeito, e sempre demonstra que o Rap com o tráfico as vezes são muito parecidos.

Wrath of Caine é o melhor lançamento do ano até agora. É hora de aproveitarmos que o mainstream está nos presenteando com grandes lançamentos de grandes MCs, e ouvirmos mais eles. Agora é hora de esperarmos o disco de Pusha, ou qualquer outra colaboração dele, afinal, Pusha está pegando fogo, e já não é de hoje. É isso, espero que vocês gostem!

Por: Joe

_________________
:: Hip Hop é Arte:: |::SoundClound::

Ver o tópico anteriorVoltar ao TopoVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum